O Ponto Alto da Festa


Hoje é o dia da tradicional "FESTA DE TODOS OS CANTOS", comemorada há anos por Tienô, com a ajuda de Zita, no Jardim Ponto Alto. Neste ano porém, por coincidência ou melindre do destino, Dona Adelaide do Rego Penteado, uma milionária excêntrica, que adora reformar praças públicas para colocar seu nome, decidiu improvisar uma festa para comemorar o fim da reforma da praça do Ponto Alto.

Dois malandros da vizinhança, que não perdem tempo em se aproveitar das fraquezas humanas, criam as maiores confusões com os moradores do bairro para evitar que Tienô festeje, pois assim, interesseiros que são, podem se aproximar dos ricos convidados de Dona Adelaide.
Durante os preparativos para as duas festas, sem que as anfitriãs saibam o que se passa, siladas, brincadeiras, armações e conversa mole agitam a tarde dos divertidos moradores do Jardim Ponto Alto.

Processo de Criação
O Ponto Alto da Festa é o resultado dos estudos de Commedia dell’Arte Brasileira, desenvolvidos no Barracão Teatro, pelos mais recentes integrantes do grupo, dirigidos e orientados por Tiche Vianna e Esio Magalhães.

A ideia era criar um espetáculo que introduzisse atores e atrizes no universo das máscaras teatrais, partindo da commedia dell'arte, uma das bases de pesquisa do Barracão Teatro, mas que dialogasse com a contemporaneidade e a atualidade do grupo que sempre reinventou a tradição.

Assim, cada ator e atriz, observando as ruas da cidade de Campinas, escolheu um tipo social para ser abordado e suas máscaras foram construídas a partir do caráter pesquisado em diálogo com os arquétipos tradicionais da commedia dell'arte.

Criadas as máscaras investigamos que história elas juntas nos contavam para criarmos um espetáculo com a diversão que o jogo teatral popular nos oferece. Sem perder uma pitadinha do olhar crítico sobre a nossa própria realidade, O Ponto Alto da Festa traz o humor, a música e a dinâmica de movimentos das máscaras populares urbanas, para divertir seus espectadores.


Ficha
técnica

Atores: Carol Novaes
Cintia Birocchi
Fernando Fubá
Raíssa Guimarães
Ulisses Jr.
Wagner Gori
Texto e Direção: Tiche Vianna
Preparação de Atores, Criação e Confecção de Máscaras: Esio Magalhães
Direção Musical: Marcelo Onofri
Direção de Arte e Figurinos: Antonio Apolinário

Cenografia: Atores e Diretora
Operador de som: Denis Kageyama
Produção Executiva: Cau Vianna, Cintia Birocchi e Suzana Santos
Produção Geral: Barracão Teatro

Necessidades Técnicas:

Espaço Cênico

O espetáculo pode ser apresentado na rua e em espaços não convencionais.
Necessita de aproximadamente 70 metros quadrados de área cênica.

Cenário:

O espetáculo conta com uma tenda que define o fundo, uma "teresinha" (que estabelece uma frente) semi circular e objetos facilmente desmontáveis.

Tempo de montagem: 01 hora
Tempo de desmontagem: 01 hora

Som:

São utilizados microfones, um para cada ator e atriz, de nossa responsabilidade. É necessário um ponto de energia para ligar mesa de som, quando apresentado na rua. e de duas caixas acústicas.
Tempo para montagem de som e equalização: 01 hora

Luz:

Sendo espetáculo de rua, é apresentado frequentemente em horário diurno, dispensando o uso de equipamentos de iluminação.
Quando apresentado à noite na rua ou em espaços fechados, necessita do equipamento de luz para criação de uma geral que possa varrer a área da encenação, correspondente aos 70 m quadrados.

Faixa Etária:

Todas as idades por se tratar de espetáculo popular de rua.